Curiosidades sobre a raça Yorkshire.

                                            Origem
    Antes da história, a geografia e um pouco do envolvimento socio-cultural, pois deles dependeu expressamente a ocorrência de uma raça de cães com as características particulares desteterrier
 na Grã-Bretanha. Os antepassados do Yorkshire Terrier surgiram na Escócia e no Norte de Inglaterra. Aqui, tal como um pouco por toda a Europa feudal, Portugal incluído, apenas ao clero e à nobreza era permitida a posse de cães fidalgos, de porte médio e grande, destinados à guarda pessoal e à caça, estando esta apenas destinada às montarias reais. Uma forma de estabelecer limites ditava, por decreto real, que apenas os cães suficientemente pequenos para passarem por um aro de sete polegadas de diâmetro (cerca de 17,5 cm) poderiam pertencer ao povo, pelo que os cruzamentos eram feitos entre raças pequenas, a fim de garantir o seu enquadramento legal. Os pequenos cachorros eram, ainda assim, suficientemente destemidos e ardilosos para conseguirem caçar ratos e algumas presas menores, que ajudavam à subsistência dos mais desfavorecidos. Chegada a revolução industrial, as gentes do campo deslocam- se para as periferias das grandes cidades, em busca de emprego nas fábricas e nas minas de carvão. O condado de Yorkshire acolheu parte desse fluxo migratório que contemplava os cães dessas pequenas comunidades e para os quais também havia trabalho: livrar as minas da praga dos ratos.

É suficientemente reguila e corajoso para enfrentar estranhos ou intrusos

                                         Morfologia
    O Yorkshire é um cão único, sendo muito fácil distingui-lo de todas as outras raças de cães.
   
 Peso — Não deve exceder os 3,5 quilos, sendo que, para os mais ortodoxos, deve fixar-se nos 3,150 quilos.
   
 Altura — Pouco mais de 20 centímetros.
   
 Corpo — Bem proporcionado, de aspecto compacto e dorso curto.
   
 Cabeça — Pequena e achatada, de focinho médio. Ergue-se orgulhosamente, revelando alguma vaidade e muita auto-confiança.
   
 Orelhas — Pequenas, triangulares e erectas, não muito afastadas entre si.
   
 Olhos — De tamanho médio, redondos, escuros, brilhantes, cheios de vivacidade, denunciando inteligência e curiosidade.
   
 Membros — Curtos e direitos. Patas redondas de unhas pretas.
   
 Cauda — Tamanho médio e erguida um pouco acima do nível do dorso.
   
 Pêlo — Longo, fino, liso, sedoso e brilhante num tom azul-aço — que vai do pescoço ao início da cauda —, ao qual se associa o dourado que se fixa no focinho, no peito e nas pernas. Há a variante albina, completamente branca. O pêlo cai a direito e nivelado por ambos os lados do dorso e não deve nunca ser ondulado.

                                         Temperamento
    Pequeno, mas pouco, que é como quem diz: não avalie, ou antes, não subvalorize o Yorkshire Terrier pelo seu tamanho. É apelidado de cão de colo (na verdade, só apetece andar com ele de um lado para o outro ao colo), mas esse é um prazer do dono e não do cão. De temperamento independente, prefere conduzir a ser conduzido, mais ainda longe do chão, que só está bem perto do dono e não admite não ser visto como mais um membro da família, pelo que, jantares em casa de amigos ou viagens de férias, são programas onde gosta de se incluir. Junto de estranhos, lança o seu charme dócil e enternecedor bem como dá mostras de uma enorme capacidade de sociabilização. É tão devotado ao dono que raramente o terá de chamar. Ele está sempre junto ao dono, até porque é muito activo e gosta de se manter ocupado. É uma excelente e divertida companhia, mas mais vocacionado para os adultos, pois não tem muita paciência para os excessos infantis, além de que gosta de reivindicar a sua quota-parte de mimos, o que nem sempre é entendido pelas crianças. Este é o lado familiar, mas há outro, o do mini-cão de guarda, na medida em que é perito a detectar possíveis perigos e a lançar o alerta. Dos tempos de caça nas minas britânicas, ficou-lhe uma incontestável coragem e a persistência necessária. Enfim, sempre pode vencer os bandidos pelo cansaço.